Causas da gengivite

Dossier : Gengivite

A gengivite é uma inflamação na gengiva, o tecido que rodeia o dente. As gengivas ficam avermelhadas e inchadas. A hemorragia das gengivas durante a escovagem é o primeiro sintoma desta inflamação.

A gengivite pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade e inicialmente não é dolorosa. Mas se não for tratada, pode evoluir e provocar dor. Para evitar a gengivite é importante manter os hábitos diários de escovagem e a utilização de elixires orais. Recomendamos LISTERINE® DENTES & GENGIVAS como parte da sua rotina.

A sua fórmula enriquecida com flúor reforça os dentes contra cáries e elimina a placa bacteriana que é a principal responsável pela gengivite.

http://www.listerine.es/sites/www.listerine.es/files/images/gingivite3%20-%20Copie.jpg

A principal causa da gengivite é a acumulação da placa bacteriana na linha da gengive. A placa bacteriana contém bactérias que atacam a gengiva e provocam inflamação.

 

 

A gengivite apresenta várias fases, cada uma delas com sintomas diferentes:

  • Fase 1: lesão inicial

A gengivite é suave. As gengivas podem sangrar ligeiramente durante a escovagem. A vermelhidão das gengivas passa praticamente despercebida.

  • Fase 2: lesão precoce

A gengivite é moderada. A hemorragia produzida pela escovagem é mais abundante, as gengivas estão avermelhadas e aparece o primeiro inchaço.

  • Fase 3: lesão estabelecida

A gengivite é grave. A hemorragia é espontânea. O epitélio de junção que fixa a gengiva ao dente é afetado. A gengiva deixa de aderir ao dente, o sulco gengival (o espaço que está entre a gengiva e o dente) alarga-se.

A gengivite é reversível. Uma vez que a causa principal da gengivite é a placa bacteriana, ir ao dentista e manter uma boa higiene oral ajudam a resolver o problema.

 

INFLAMAÇÃO DAS GENGIVAS: FATORES AGRAVANTES

Além da influência genética de cada um, há uma série de fatores que agravam esta situação. Alguns podem ser controlados, como o tabagismo ou a falta de vitamina C ou B3. No entanto, há outros fatores a ter em consideração, mesmo que seja difícil mudá-los:

  • As alterações hormonais durante a gravidez (gengivite durante a gravidez), a menopausa ou o uso de contracetivos orais.
  • Alguns tratamentos imunossupressores e antiepiléticos.
  • Algumas doenças sistémicas como a diabetes, a leucemia ou a SIDA.
  • As coroas ou reconstruções mal concluídas.
  • A posição dos dentes. Quando os dentes se sobrepõem é mais difícil eliminar a placa bacteriana com a escovagem.

O TABAGISMO E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS

O tabaco enfraquece as gengivas. O fumo do tabaco altera a resposta do organismo aos ataques das bactérias responsáveis pelas doenças das gengivas. O risco de desenvolver gengivites e posteriormente periodontites aumenta com o tabagismo e durante todo o tempo que fuma. Por isso, quanto mais tempo fumar, é mais provável que desenvolva uma doença nas gengivas ou periodontite. O risco diminui quando deixar de fumar.

Nota: